Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Invisible Girl Daily

Sou do tipo de pessoa que molha a casa depois da banho, come doces antes do almoço, briga com amigos as vezes sem razão, come toda a pipoca durante os trailers, erra, mas afinal quem é perfeito? Aproveite a vida enquanto a tempo.

Invisible Girl Daily

Odeio...

... Uma das coisas que mais odeio é estar dependente de terceiros, odeio ter de me gerir por vontades de outros.

Como por exemplo organizar festas/jantares de anos, odeio, deixei de fazer simplesmente, aquela confusão toda vou, depois já não vou, amanhã digo-te, afinal não posso ir. 

E acabei por adoptar este modo com outras coisas, só lido com isto se for área profissional e espero que nunca/quase nunca aconteça. Acho uma das coisas mais depuráveis. E o fundo disto tudo muitas vezes passa por as pessoas não serem honestas e directas umas com as outras. Em vez de dizermos "talvez" quando não queremos. Mas pronto apenas um devaneio.

Ou seja se não faço por mim, não faço pelos outros, portanto nunca esperem uma festa de anos surpresa organizada por mim 

Outro exemplo é os trabalhos de grupo, dou em doida quando lá o meu grupo tem de ficar com o "rejeitado", "maltrapilho" que trabalhar não sabe, e tadinho são tantas as festas e actividades extracurriculares que não arranja tempo para ler mensagens e dar que seja uma contribuição. Isto quando os "bonzinhos" do grupo reclamam é mal sinal. Será mal sinal que eu não faça parte desses "bonzinhos"?

Coisas que me deixam pi-ursa...

Por onde tenho andado...

Já fui chamada de muito, já fui muito para alguns e pouco para outros. Já fui coisas diferentes durante tempos diferentes. 

Quem sou agora? Há dias que sei mais do que outros.

O que faço? Um estado permanente da busca do equilíbrio, de mim e de paz. Um dia lá chego, a questão é sempre continuar... Há dias que acredito mais que outros.

Dou por mim não num meio termo mas em algo que me levou para longe da escrita, embora escreva mentalmente, conta? Eu digo que sim. Em que ponto me encontro? 21 anos, quase licenciada, continuo com sardas...

O que há para mim num futuro não assim tão longe? Não sei, quero a minha independência, o meu canto de paz que seja meu. Olho para os últimos 5 minutos da minha vida e dou conta que estava preocupada com a entrada na faculdade, preocupada em ser tentar agir como gente grande. Agora tudo o que quero é ser.

Não há nada mais importante do que nos focamos em nós, em estarmos bem e mais que tudo acreditar em quem somos e do que somos capazes. Já me odiei? Muitas vezes. Não gostavas de mim? Muitas vezes também. Acho que agora estou num equilíbrio em que eu gosto mais de eu. Basta continuar a respirar e amar