Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Invisible Girl Daily

Sou do tipo de pessoa que molha a casa depois da banho, come doces antes do almoço, briga com amigos as vezes sem razão, come toda a pipoca durante os trailers, erra, mas afinal quem é perfeito? Aproveite a vida enquanto a tempo.

Invisible Girl Daily

Solteira... Com orgulho

large (3).jpg 

Eu sei que não estou preparada para amar portanto é escusado me dizerem aí é tal porque estás solteira? Reparo que pessoas próximas saem de uma relação e passado dias já se ama outra pessoa já se está numa relação nova como se a antiga nunca tivesse existido. Desculpem se feriu alguma expectativa em relação a mim e ao meu estado civil. Não sou de modas e não me meto numa relação só porque é giro ter alguém a me ligar e mandar mensagens constantes com coisas fofas e a me chamar de linda e tal, não uso ninguém para esquecer ou para me valorizar. Isso de deixamos de namorar, deixamos de nos conhecer, não consigo esquecer e fingir que não aconteceu, porque se pensarmos bem um namorado deveria ser acima de tudo um melhor amigo, pelos menos falo por experiência própria e portanto não sei como fingir que esqueci ou esquecer da importância desse pessoa em quem eu sou. E juro que me faz certa confusão ver  gente que o consegue. Sem julgamentos apenas me faz confusão.

E outra coisa que também não consigo entender como se consegue falar mal, odiar e mesmo distorcer a outra pessoa. Não a amaste a um ponto, ela não foi tudo o que querias um dia? Por mais mal que a relação tenha terminado apenas não acho justo um ou outro falarem mal. 

Esta minha vertente até pode parecer fria e distante da realidade. Mas acredito que tudo precisa de um tempo e que nada acontece por acaso. Gosto de usar este meu tempo de solteira para me mimar, aproveitar a minha companhia, conhecer-me melhor e conseguir me tornar uma melhor pessoa. Não conseguiria entrar numa relação sabendo que amo outra pessoa, apreço muito a genuinidade e não me engano a mim muito menos meterei outra pessoa ao barulho. Também não estou de mente e coração fechado... Não sei o meu dia de amanhã e se me apaixonar que seja, não tenho medo... Que tudo na nossa vida nos sirva para ser felizes e crescer da melhor maneira. Magoarmos-nos é algo inevitável, até os que te amam te magoam e tu a eles, é algo que não podemos separar das relações. Apenas temos de saber quando vale a pena ultrapassar os obstáculos em vez de virar as costas e ir embora.

Eu sou uma pessoa de não virar costas, sou muito de ficar e lutar, para mim sempre vale a pena, as pessoas podem sempre melhorar e querer melhor, talvez seja por aí que me magoou mais do que necessário. Eu luto até ao último suspiro, mas meu amor eu não luto sozinha, teve vezes que o fiz mas aí sim não há solução, ninguém consegue enfrentar uma maré sozinho. Mas não sou parva nenhuma, já deixei pessoas ir, já me deixaram ir... São as relações humanas,cada um com a sua decisão mas que esteja sempre nas nossas consciências o que deixamos ir, por mais que queiramos não volta e se voltar nunca será o mesmo... O que nos faz crescer mais do que tudo é o sofrimento, nós ensinamos e aprendemos a ser distantes. Na mente está sempre presente, ser melhor que ontem, amar, ser sincero comigo própria e que um amor nunca mas nunca vai substituir outro. Há várias relações durante um vida mas nenhuma será igual. 

Sejamos intensos, sejamos amor e apenas amor. Não sufoquem em sentimentos, digam, digam em voz alta o que sentem, sem medos. Tudo acontece porque tem de acontecer... 

I can't stop the heart

large (2).jpg

 

O mundo por segundos pará e eu dou comigo a relembrar tudo e a me questionar o que deu errado? como ainda me dói e me faz chorar?

Eu sei, eu sei... mereço mais, sou mais forte que isto, ele não te merecia...blá blá blá...

Chego mesmo a sentir raiva de mim própria, como assim ainda choro por ele, o quero aqui, sinto saudades dele. Apenas posso concluir que sou uma idiota. Como ele ainda mexe comigo... Como o consigo amar mesmo depois de tudo? Ao fim deste tempo todo, dos encontros estranhos e bizarros que tive desde aí, as pessoas com que já me cruzei, as noites que saí e que o procurava inconscientemente no meio da multidão, os rapazes que beijei. Ainda é ele... Mesmo não o vendo, nem sabendo nada dele. Não era suposto "o que os olhos não vêem o coração não sente"? Pois comigo não se aplica, mesmo distantes eu me preocupo com ele, penso como ele estará e até me pergunto o que ele anda a fazer. Custa-me confessar mas ainda penso nele todos os dias.

Até eu acho uma patetice ainda estar tão ligada a ele, ou pelo menos sentir que estou. Juro que não consigo de outra maneira, não consigo me ver com ninguém sem ser ele, muito menos amar alguém desta maneira. Ele me devia ter avisado antes de me fazer apaixonar assim por ele. O meu primeiro grande amor, esperemos que apenas seja por isso que dói e demora tanto tempo a curar. Mas sinto que de alguma maneira ele sempre terá um pouco de mim e eu sempre o levarei com amor para a vida, mesmo que os nossos caminhos não se voltem a cruzar, que não o veja mais nem ouça aquela sua voz. Mesmo que o cheiro e a voz dele desapareçam das minhas recordações. Guardo-o sempre. Os planos que fizemos e que se perdem no tempo, os olhares que demos, a doçura tudo isso ficou para trás. Ainda falo dele com o brilho nos olhos como uma tontinha. Ainda o admiro e me orgulho dele, da tua parte que sempre será minha.

Ainda tenho o sorriso dele tão presente na minha mente, por vezes acho que sinto o seu abraço, o som da sua voz ainda a ouço e quando o telemóvel toca ainda espero que seja uma mensagem dele. No outro dia era a voz dele que estava a desejar ouvir quando atendi aquela chamada, não me perguntem porquê, eu não sei e fiquei surpreendida também. Mas já nada disto é meu, já nada disto faz de mim tua, apenas um passado que para mim ainda continua tão presente. Como consigo lembrar do dia que nos conhecemos, do nosso passeio, do seu olhar de menino e aquele sorriso que iluminava sempre o meu mundo. Do seu amo-te ensonado, da nossa conchinha e dos fins de semana de ronha em que não saiamos do nosso mundo. Do desejo que todos os dias tinha de chegar depressa a ti, de quando as aulas não passavam e eu só queria o teu colo. Das vezes que ele me deixava em casa e eu ficava na rua a ver o seu carro virar a esquina e esperava sempre que parasse antes de virar e me dissesse um último adeus. Tudo isso não passa de memórias de um homem que eu amei e que nem sei se ainda existe...

Hoje é apenas um dia de saudade...

Bem pode ser que um dia nos encontremos onde nos perdemos.

O tempo não muda nada

large (6).jpg

Faz um ano desde aquele dia no teu carro, onde já tinhas decidido que tudo tinha acabado.

Tanto desde aí passou, palavras foram ditas, saudades escondidas, sorrisos disfarçados, olhares distantes. Já não és tu que me espera em casa, já não sou eu que acordo com a tua mensagem de voz a piscar no meu telemóvel nem sou eu que te acorda com um beijo. Já não é o teu abraço que sinto, já não és tu que me dás o conforto e nem eu que te ouço. Já não dançamos na cozinha nem no quarto, já não rimos feitos perdidos nem canto para ti enquanto tomas banho. Já não te vejo a cozinhar nem a chegares ao pé de mim e com aquele teu sorriso me beijares com um amo-te. Já não há a nossa rotina, a nossa intimidade, nós.

Eu sei que estás na tua vida, seguiste, e que até tens outra pessoa… que continues a ser feliz… mas eu contínuo aqui a sentir-me idiota, a sentir a falta de ti e de nós. Aqui sentada…

Confesso que a chorar por nós, a lembrar cada brincadeira, cada Oh be, Oh amor, a chorar ainda mais com cada amo-te que me lembro. Cada foto ficou uma memória, cada respirar, cada suspiro, cada palavra, cada olhar, cada toque, tudo ficou em mim… mas o que resta?

Distância, para ti sou mais um nome, uma pessoa que conheceste em tempo. E eu aqui por ti a sentir amor e saudade…

Quero engolir as lágrimas mas estas teimam em descer. Quero apagar o que sinto, apenas lembrar-me de ti de tempos em tempos com um sorriso e não sentir esta dor que ainda me faz chorar e desejar saber o que correu mal. Não quero mais olhar e procurar por ti em cada carro e em cada pessoa que passa.

Quero abrir o meu coração e retirar-te de lá e assim o fechar e esconder.

Um ano se passou… e tu cada vez mais longe e eu aqui sentada nesta cama com recordações nossas e com lágrimas a saltar de tanto amor que sem darmos conta se foi perdendo e eu encontro-o dentro de mim abraçado à saudade e a uma foto tua.

Será que pensas em mim? Com carinho? Apenas lembrança? Ou nem te passa pela cabeça? Será que poderia ser tudo diferente?

O tempo não muda nada porque eu estou aí mesmo sem estar, sentindo-me perto de ti mas mais que longe…

Apenas contínuo uma idiota apaixonada por outro idiota.

Um estranho conhecido

large (3).jpg

Sempre achei que te conhecia mas isso não aconteceu. Finjo que não és um estranho para mim mas és. Eu não te conheço, bem acreditei que conhecia. Até a pouco tempo pensava que talvez fosse das pessoas que melhor te conhece, o quanto me enganei.

Eu não sei nada de ti, da pessoa que és. E sinto que nunca o soube. Não sei em que acreditas, o que vês quando olhas longe, qual o teu maior sonho ou com quem vais ter quando queres chorar...pensei que soubesse mas não sinto mais.

Dou-me conta agora meses depois de saíres pela porta, que provavelmente nao te conheço mas ainda faço papel de idiota. Me pergunto se realmente conheci a pessoa que amei/amo até agora pensei que te conhecia. Mas a cortina fechou e eu vi, nada em ti conheço... já não te conheço e nem sei se alguma vez conheci. Só te posso dizer uma coisa foi a última vez que deixei que me desiludisses e magoasses, mesmo não te teres dado conta, sempre pensei que tivesse sido mais importante do que pelos vistos realmente fui. Aquelas palavras "nunca te vou esquecer, de mim nunca irás sair" são apenas isso palavras ocas, vazias, desnutridas de sentido e sentimento.

Não conheço quem és... e ninguém me consegue tirar essa sensação.

Mas posso dizer não fui eu que te abraçava com o olhar vazio, não fui eu que te disse para ires embora, não fui eu que te descartei como se de nada se trata-se, não fui eu que te deixei de amar... 

O teu toque eu ja não sinto, a tua voz eu já não ouço, o teu abraço já não me espera.  Não sei como chegamos a este ponto, pior que desconhecidos. Deixei de acreditar... Só falta o meu coração não sentir o que sente por ti...

Desculpas aqui não

large (1).jpg

Quando vivemos com pessoas que não entendem um desculpa, que não o conseguem exprimir com emoção e com o sentimento que a palavra requer.

Não me digas desculpa se for por aparências ou simplesmente porque a situação requer. Como a minha mãe diz desculpas não se pedem, evitam-se.

Não sei como respeitar alguém que pensa que desculpa resolve tudo e muito menos alguém que não sabe admitir o erro é muito menos corrigi-lo. Já acreditei em desculpas. Desculpa por não ter ido, desculpa por não ter ficado, desculpa por não te dizer, desculpa por te ter mentido, desculpa simplesmente...

Garanto que muito pouco me tira do sério, sou uma optimistas incorrigível e espero sempre o melhor dos outros, antes não acreditava que as pessoas podiam ser tão falsas, egoístas e más. Perdi um pouco dessa magia, mas não por inteiro... continuo a acreditar mas sei que não é qualquer pessoa que tem de mim tudo o que sou.

Tal como ele me disse não tenhas medo, confia em outro alguém, não te podes fechar só porque me vou embora. E o que eu fiz exactamente o oposto. E ele assim sem direito ele levou um pouco da menina que era...

Também não entendo certas desculpas, algo que para mim tem de  ser algo tão sentido, e é usado simplesmente para não ficar mal na situação. Não sinto a diferença, não espero nada de ninguém, acabaram as expectativas, não sou tão agarrada e por vezes não mostro a pessoa carinhosa e preocupada que sou... Já me disseram para sair da bolha, que a Vi não é assim tão out, tão despreocupada e chega a ser fria e a dar a entender que não se interessa. Sei sim que esta atitude já me livrou de certas coisas. estou tão a base do "f@dasse, seja o que for, que venham quem vier, que fique quem ficar"

 

A verdade é que todos acabam eventualmente por ir embora e com uma desculpa que nem lembra aos Deuses. Desculpas de chacha, que de verdade talvez não tenham nada.

Admito sou fã de pessoas corajosas que não têm medo de ser ridículos, que não temem sentir os exageros da vida e que saibam lidar com eles, pessoas que não calam o que sente e que estão dispostos a lutar pelo que querem mesmo não sendo fácil. Gosto destas pessoas porque não há senão e rodeios, elas não têm vergonha do que são e do que fazem. Têm coragem de admitir os seus erros, e de os corrigir. Pessoas que agradecem os dias e não usam desculpas de caca. Entregam-se a felicidade sem medos, sem estúpidos receios... Não perdem tempo a pensar no que os outros sussurram. Pessoas que se ocupam com a sua vida, com o amor e a felicidade, sem precisar de enredos, de desconfianças e sem criticas aos outros. Pessoas que não remoem e que são directos. Que ouvem e resolvem as coisas sem remoer. Sem medos, sem pensamentos pensados.

Prefiro este tipo de gente, gente que nasceu para lutar pelo amor, pela felicidade, sem medos... Gente que vive a sua própria vida. Gente do bem. Gente que não arranja desculpas para a vida..