Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Invisible Girl Daily

Sou do tipo de pessoa que molha a casa depois da banho, come doces antes do almoço, briga com amigos as vezes sem razão, come toda a pipoca durante os trailers, erra, mas afinal quem é perfeito? Aproveite a vida enquanto a tempo.

Invisible Girl Daily

Vivendo com Ansiedade

large (1).jpg

 

Lembro-me perfeitamente quando me deparei com a ansiedade...

Foi mesmo antes do começo do 2º ano de faculdade que este bichinho se deu a conhecer. As insónias sempre as tive mas nunca as relacionei com a dita cuja. Foi aqui que passadas 2 semanas mal dormidas, quase 2h por noite e nunca de noite, em pleno Agosto que lá veio uma gastroenterite nervosa mais uma ida à médica de família e mais uns calmantes, que nada fez e mais uma semana se passou no meu festim até ter mesmo de ir ao hospital e lá com tranquilizantes a situação melhorou.

 

Desde aí a ansiedade tornou-se parte da minha vida e lidar com ela nem sempre é fácil, embora já lhe conheça os sinais. A ansiedade ainda não é bem aceite nos nossos dia-a-dia, nem pelas pessoas à nossa volta. Sempre se irá ouvir "és muito nova para isso", "não tens motivos para estar assim", "toma um calmante que isso passa", não é assim tão fácil. Não tenho crises de ansiedade porque quero ou porque gosto, medicamente falando também não há cura ou milagre que resolva.

 

Ainda não sei bem lidar com as crises, e muito menos as controlar... tem sido um processo muito lento. O pânico ainda se apodera de mim mais vezes do que gosto de admitir, o medo irracional, a falta de ar e o descontrolo nos meus pensamentos e os malditos tremelicos.  Será que pegar no telefone e não ir trabalhar hoje seria a melhor solução? Sair da cama num dia assim, será que vale a pena, seria tão mais simples não sair da cama. Há dias assim não vos vou mentir mas acabo sempre por levantar e ir. Embora confesse um pouco com vergonha que às vezes um cigarro é o único que me ajuda a aguentar.

 

Valorizo muito a minha saúde mental mas ainda não consegui tirar o meu devido tempo para apenas ser eu e estabilizar. Sinto a ansiedade desta vez aqui presente meio que a espreita e que tem atacado dia sim, noite sim, e um descanso por alguns dias. Estou mesmo a sentir o corpo a quase se render a quase a ligar a luz de urgente parar.

 

Se estou a fazer mal? Estou, estou como que a brincar com o que a minha mente que suavemente me vai dizendo até ao dia que ela me obrigue de vez a parar. Cada dia apenas me levanto e às vezes até me sinto em piloto automático, acordo com o desejo incontrolável que o dia apenas acabe. Sinto que estou mesmo a precisas de parar e apenas ter tempo para respirar e voltar ao meu equilíbrio, só que vou adiando essa paragem e não sei até quando a minha mente o irá permitir. 

Parar é fundamental mesmo sendo complicado o fazer, sinto a paciência a desvanecer para certas coisas. O dia a dizer "respirar e não pirar". Mais do que isso é conseguir ignorar os zuzus que muitas vezes me rodeiam, palavras que são lançadas para o ar e que mesmo sem significado remoem e me deixam intrigada e até mesmo preocupada.

 

Os ditos conselhos médicos, que sempre são fáceis de dar mas não de praticar, tirar um tempinho todos os dias para fazer algo que nos alimente a mente, que gostemos e não esquecer de respirar e não pensar tanto. Não tenho tido muita sorte, mas lá está cada pessoa tem de encontrar a maneira de conseguir atingir o equilíbrio. Uma das fases mais importantes e que essa já consegui atingir passa pelas pessoas que nos rodeamos e como o nosso porto de abrigo pode minimizar a ansiedade e os sintomas. Mas um dia de cada vez que bem sei que faço o meu melhor.  Há dias bons no meio disto tudo, também dias de irritabilidade pura, e dias sem que nada aconteça, apenas ser um dia normal.

 

Mais que tudo sei que devo ouvir o que o meu corpo que subtilmente me diz e descobrir o melhor mecanismo para lidar com o dia a dia e a maldita ansiedade.

 

Se estás na luta olha eu também mas como o velho ditado diz "depois da tempestade vem a bonança", haja esperança de um dia melhor, de um dia mais leve e que os nossos pensamentos deixem de ser preocupações antecipadas ou de algo que não está ao nosso alcance resolver ou mesmo de coisas passadas.

 

Que um dia possa dizer, que sim vivo com ansiedade mas ela e eu somos velhas amigas e nos entendemos.

E aqui fica o Finalmente...

 

large.jpg

 

O tempo é tão engraçado. Quando o tempo só nos faz ver o quanto enganados fomos. Até que ponto não conseguimos conhecer alguém com quem partilhamos tanto.

Se me perguntarem se estou triste por isso? A resposta será não, apenas desiludida. Sempre achei que era impossível alguém retorcer tanto descer tão baixo. Como acreditar no amor que um dia há juras, naquele amor que há dois anos atrás quando decidiste acabar me imploraste para acreditar e para que nunca duvidasse, que amas mas que não conseguia mais, nas palavras que nestes dois anos sempre me disseste, como?? Se agora só me olhas com desprezo, com desconhecimento e rancor. Como alguém que conhecia-me tanto enganou-me assim.

 

Desconhecimento talvez foi o nosso melhor passo. Eu não te magoei, pelo menos não da maneira violenta desumana como tu fizeste, não guardo rancor nem ódios, também não te amo mais. E para mim é um alivio. Nunca pensei foi que poderias apagar tudo e ignorar a minha existência, passar a ser uma desconhecida que nunca conheceste e que nada fez por ti, acho que merecia melhor da tua parte. Essa é a parte que ainda me deixa perplexa, depois de tudo... não sei o que te motiva a agir de tal forma.

 

Eu mal não te fiz. Apenas amei-te a ti e aos teus. Amor que se extinguiu, apenas ficando o carinho de duas almas que cresceram e amaram juntas. Chegando o tempo de separar...

 

Sim foi graças a ti que a menina pequenina aprendeu a amar, foi graças a ti que quando me deixaste no momento que mais precisei a menina cresceu e se tornou nesta mulher. Mulher essa que deixou as inseguranças de lado, aprendeu a amar-se e a ignorar opiniões alheias. Não deixando a parte da menina de fora, sorriso fácil, coração gigante e que ainda acredita no amor e que tudo acontece por uma razão.

 

Devido a ti eu sei o que não quero para mim. Que a menina que vestiu a armadura de mulher encontrou o amor outra vez e desta vez não há ilusões não há desentendimentos nem egoísmos. Apenas dois seres que compreendem o amor e que o constroem juntos. Por isso obrigada contigo fui feliz aprendi e evolui... tal como me disseste “ aprende a ser feliz sozinha não deixes que ninguém te magoe, como eu o fiz” Eu posso te prometer aqui, não vou permitir que me magoem como tu tantas vezes o fizeste, algumas delas com intenção e consciência. Menina virou mulher e ao contrário de um conto de fadas desta fez foi a princesa que encontrou o seu príncipe. E que mais do que nunca está feliz. Também desejo que sejas feliz também é que não tenhas de aprender da pior maneira.

 

Aqui declaro que acaba a saga desta história, já há muito que acabou, tinha apenas estas palavras guardadas nas notas do telemóvel prontas para saírem cá para fora. Afinal eu mereço melhor e sempre o mereci.

Amar sempre

365Love4.jpg

 

Sei perfeitamente como é amar alguém. Amar ao ponto de me importar mais com o bem estar do outro do que o meu próprio. Dai veio um coração bem partido sem peças para depois conseguir recuperar. Custou e ainda custa mas hoje sou mais eu, talvez um pouco menos inocente, mais céptica em relação a tudo. Mas voltaria a fazer tudo de novo.

O tamanho do que cresci, aprendi o verdade significado de "aprendemos mais a sofrer do que a ser felizes". Mas também aprendi o real amor, que sozinhos podemos ser muito mas acabamos por ser nada. Que por mais que seja difícil voltar a levantar nada me faria não o voltar a fazer.

A saudade e recordações ficam, o significado também, embora a pessoa possa já não ser a mesma que conheci e que amei. Se um pouco meu ficou com ele? Ficou e espero que ele tenha conseguido crescer e aprender tanto como eu. Não é fácil seguir em frente mas também nunca ninguém disse que o era. Há dias que a saudade sufoca, há dias que vês que até pode ter sido pelo melhor e aqueles dias que o único pensamento é " mas o que correu mal".

Acreditava que tudo o amor conseguia mas a vida me mostrou que nem sempre é assim. É difícil perder alguém  que se ama e que passamos tanto juntos, onde existem planos para um futuro e algo que se construiu.

Mas o mais difícil para mim foi perder o meu porto seguro, o meu melhor amigo. Que por mais que o dia esteja difícil não lhe posso ligar. Que embora seja a primeira pessoa que penso quando algo corre bem também é a pessoa a quem não posso ligar. Sempre ouvi isso com o tempo passa, e não é bem assim, apenas continuamos a vida, sendo que há dias que só a saudade te enche e outros que ficas " como é possível ele ter me feito isto".

Um coração partido não o deixa de estar apenas porque metemos um sorriso na cara e seguimos. Há pessoas que partem mas ficam em nós para sempre.

 

Não direi que não me vou deixar apaixonar novamente, claro que vou, é um dos melhores sentimentos que existe. Mas sei que já não sou a pequena e dócil menina que era. Agora a vida me fez mulher e para conseguir amar alguém, terá de ser um homem, que esteja disposto a construir algo, que namorar não seja apenas um capricho ou passar tempo. Não tenho nem paciência nem tempo para essas coisas.

 

Sou muito mulher sozinha e se for para subtrair, amigo fica lá no teu canto. A vida é muito mais quando se ama, se acrescenta, se cresce em conjunto.

 

Não amo por bocados, não amo por conviniencia, muito menos porque todos têm e eu não quero estar sozinha... Apenas amo incondicionalmente e sinceramente. Aprendi a amar do jeito certo, pena o outro lado não saber amar.

Um amor para a vida toda

large (7).jpg

A vida nos embrulha de tal maneira que passamos muitas vezes ao lado de tanta coisa.

Uma das coisas que mais me tem passado pela cabeça, é o que significa o amor. E para mim como pessoa romântica e que gosta das coisas mais simples, não é uma resposta muito fácil. 

Mas quando o amor se sente é partilha, é preocupação, é apenas ficar a olhar um para o outro e assim decifrar as emoções e o que o outro não quer dizer.

Havendo vários tipos de amores, e na minha opinião nenhum deles é igual.

 

Amor é preocupação mesmo em silêncio, é estar no pensamento mesmo que o outro não saiba. É mil e umas razões para discutir e não falar mas meter tudo isso de lado quando o outro precisa de colo ou apenas de um momento de silêncio e paz acompanhado. É ouvir e se meter na pele do outro. Conseguir aguentar as lágrimas quando sentirmos a dor do outro, meter um sorriso e um abraço disponível mesmo que estejamos destruídos por dentro. Mas quando se ama e o outro precisa de nós, tudo se mete de lado, segredos, mal entendidos, sapos engolidos, orgulhos feridos.

 

Amor para mim nunca se resumiu de um estatuto ou um "amor" aqui e ali. Não é algo passageiro, é carinho, compreensão e colo. E mais que tudo cumplicidade, sinceridade e presença, mesmo distante.

Como se consegue amar? Bem mais simples do que parece, não é meter sempre o outro como prioridade ou esquecer do resto do mundo. É um equilíbrio.

 

Amar é tão maior e maior ainda quando a vida nos dá tropeços e mesmo assim estamos lá para essa pessoa, quer seja para dizer parvoíces e meter um sorriso idiota na cara, ou umas caretas ou apenas ficar sentados olhando um para o outro. Palavras nem sempre são precisas. Mesmo que o resto do mundo nos julgue.

O amor é tão grandioso e simples que até assusta.

As pessoas que amamos nem sempre somos nós a escolher, não há explicação para o sentimento que apenas  a presença da pessoa nos faz sentir. Sentir em casa... não querer mexer. Tranquilidade e sentir que mesmo que façamos a pior borrada temos o nosso lugar no mundo. Há sempre decisões a tomar, arrependimentos e tantos outros entraves que colocamos no nosso caminho sem necessidade, o que apenas nos faz retrair. 

 

É um sentimento que quando puro cresce mesmo com silêncios e distâncias. Perdemos muito por calar e não dizer o que nos vem na cabeça. Ou por o orgulho nos impedir.

Uma das melhores coisas da vida é ter alguém que nos ouve, divide connosco as coisas mais estúpidas e insignificantes do dia. Partilhar momentos simples como cozinhar ou apenas ficar deitados a ouvir os pensamentos um do outro. Gritos e desconfianças são tão desnecessárias, que nos esgotam. Medos e egos destroem muito. 

 

Nada mais bonito que um amor onde o melhor de nós vem ao de cima, onde o sorriso sai sem dificuldade, onde a tranquilidade é uma constante... quando sentimos que o nosso abrigo é ali, onde as palavras apenas saem e o colo é o suficiente para aguentar o mundo todo às costas. Que nem a distância ou silêncios diminuem esse amor. Onde a compreensão é natural, sem julgamentos ou acusações. Quando o pensamento voa para aquela pessoa e mesmo que muito se tenha passado as coisas boas ainda te fazem sorrir. 

 

Não há muito que pensar, apenas temos que nos permitir deixar crescer e que a outra pessoa entre no nosso mundinho. Não há razões para não fazer apenas por medo de sair magoado ou magoar alguém. Erros é normal, afinal somos apenas humanos e essa é a parte que nos faz especiais e que nos faz crescer e ser melhores pessoas, temos que erguer a cabeça e não deixar que isso nos assuste e retraia.

 

Todas as pessoas vão te magoar tal como tu vais magoar as pessoas, faz parte do crescimento próprio e das relações humanas. Somos todos tão diferentes. Não há que ter medo, vai mas se fores vai com tudo.

 

Acredito tanto em que tudo acontece por um motivo e o receio em mim não cola. Se tiver de dizer digo, faço mesmo que isso não seja o suposto ou que me possa magoar. Histórias acontecem, são bonitas, umas acabam bem, outras têm percalços no caminho e outras por mais voltas que dêem não saem do lugar.

 

Quando duas pessoas estão destinadas a ficarem juntas eventualmente elas encontraram o caminho uma para a outra. Até podem ser sonhos de menina mas assim sou eu...

Há amores que são para a vida toda.

As pessoas mudam

large (6).jpg

 

Chega aquele momento que ao olhar para a pessoa que um dia conhecemos tão bem, vemos um ser completamente diferente. Quando é suposto evoluir, crescer e amadurecer, olhamos para certas pessoas e vemos o quão distantes do que eram estão. E não percebo como é possível haver um regressão da pessoa que era. Como se consegue ficar mais pequeno, mas imaturo, mais egoísta, menos pleno e credível. 

É com muita pena que vejo isto a acontecer a pessoas tão queridas para mim. Sou uma daquelas que ama uma vez por alguma razão o amor continua, mesmo que as pessoas não. Não levo o amor de animo leve. Daí uma desilusão plena e até desconfortável, mesmo até quando essa pessoa está fora da minha vida.

Não deixa de ser um desperdício de potencial e para quê?? Para se fazerem de adolescentes em corpo de adultos? De mostrarem algo que não são? Ser insensível? Fingir que são atingireis?

Triste ver pessoa boas virarem tão menos do que poderiam ser e do que já foram. Mas daí vem a vida, e que cada um faz as suas escolhas e tem de viver com as consequências e tentar da melhor maneira que sabe. Seja mais fácil ser um ser superficial, frio e básico ou por medo de algo mais. Eu não me posso exprimir porque não sou ninguém para opinar, apenas fico atordoada e espantada como certas pessoas que conheci tão bem e que via serem pessoas grandes e um exemplo. 

Nem todos seguimos o mesmo caminho, muitos de nós andam perdidos por medo ou mesmo por não saber por onde ir ou por onde começar. Mas nada disto na minha óptica nos dá direito a ser maus e magoar deliberante alguém. Mesmo que esse alguém nos tenha magoado. O orgulho magoado é o pior dos amigos, faz-nos dizer coisas que provavelmente não sentimos, e depois disso o desculpa não sai, por vergonha, por não dar conta. Sendo esta a razão mais básica do fim de amizades. Tudo por falta de compreensão, de conversa e de honestidade.

 

É fácil dizer "eu quero te ver feliz" mas as pessoas são hipócritas e elas nunca te querem ver melhor do que elas, e não aceitam de bom modo te verem seguir em frente, mesmo que tenham sido elas a te empurrarem.

A vida acerta as contas, a vida ensina, pode demorar mas ensina. Poderá ou não ser tarde demais.